Investigadores portugueses descobrem mecanismo neuronal ligado à obesidade

Um estudo publicado na revista Nature Communications revela que a eliminação ou "inativação" dos neurónios periféricos acelera o aumento de peso. Esta descoberta made in Portugal abre uma nova possibilidade no tratamento da obesidade.

Já em 2015 uma equipa de investigadores do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) tinha descoberto que os neurónios periféricos, quando ativados, queimavam gordura.

De uma forma simplificada, o que hoje se sabe é que os neurónios que estão fora do cérebro, no tecido nervoso, libertam uma substância que ao comunicar com os adipócitos, os torna mais pequenos (a gordura acumulada é queimada).

«Se retirarmos os neurónios, os adipócitos não têm como queimar gordura, e esta vai acumulando», assinalou a cientista, acrescentando que, mesmo que [...] façam dieta, não conseguem perder peso».

A descoberta deste mecanismo biológico será muito imporatante no combate à obesidade, a epidemia do século XXI. Esta investigação foi conduzido am ratinhos, mas este grupo está já a está a trabalhar num medicamento para a obesidade que usa estes neurónios como alvo.


-----
Fonte: TVI 24

Partilhe esta notícia