O nosso website utiliza cookies por forma a melhorar o desempenho do mesmo e a sua experiência como utilizador. Pode consultar a nossa política de cookies AQUI

Ana Goios

O atleta vegetariano: proteína vegetal “puxa carroça”? | Por Ana Goios (Bwizer Magazine)

Ana Goios

Este artigo fez parte do Número 10 da Bwizer Magazine – pode vê-la na íntegra aqui.

 

Nos últimos anos, temos assistido a um aumento do interesse e da adesão a um padrão alimentar vegetariano, não só por parte da população em geral, mas também por parte de atletas. No entanto, muitas questões surgem relativamente à sua adequação nutricional e ao seu potencial impacto na performance desportiva.

No contexto do desporto, uma das maiores preocupações surge inevitavelmente associada à proteína. Serão os atletas vegetarianos/vegans, mesmo os de alta competição, capazes de atingir as suas necessidades proteicas? A proteína animal é melhor do que a proteína vegetal? Antes de responder a estas questões, interessa explicar:

  • O que são proteínas e como são constituídas;
  • Quais as suas funções;
  • Quais as recomendações proteicas para atletas;
  • O que se entende por qualidade proteica;

Dieta vegetariana: classificação

À luz do conhecimento atual, sabe-se que uma dieta vegetariana, desde que bem planeada, é capaz de satisfazer as necessidades energéticas e nutricionais de qualquer ser humano, podendo ser adaptada a todas as fases do ciclo de vida (incluindo grávidas, lactentes, crianças, adolescentes e idosos) e a atletas(1).

No entanto, importa referir que “dieta vegetariana” éum termo genérico atribuído a um conjunto de vários padrões alimentares, em que predominam os produtos de origem vegetal, mas que apresentam diferenças consideráveis a nível nutricional [Tabela 1]. Neste sentido, em função do(s) grupo(s) alimentar(es) excluído(s) em cada padrão, diferente será o risco nutricional associado.

 

Para continuar a ler este artigo, submeta o formulário abaixo.

 

 

 
 
Este artigo fez parte do Número 10 da Bwizer Magazine – pode vê-la na íntegra aqui.

CV: Nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição na Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP) desde 2013 e primeira autora do Manual “Pesos e Porções de Alimentos”.

Fonte:

Para ter acesso às referências bibliográficas utilizadas, faça download da revista.

Partilhe em...