O nosso website utiliza cookies por forma a melhorar o desempenho do mesmo e a sua experiência como utilizador. Pode consultar a nossa política de cookies AQUI

Formador (a)
Formador (a)

Ricardo Vidal

Ricardo Vidal é Fisioterapeuta da equipa profissional do Futebol clube Paços de Ferreira. Desde 2011, ano em que terminou a Licenciatura, exerce funções na Clínica do Dragão - Espregueira Mendes Sports Centre FIFA Medical Centre of Excellence onde acompanha atletas de diversas modalidades. É Instrutor Oficial do Método de Kinesio® Taping (CKTI) e t...

Conheça-o (a) Melhor
Programa

1. Lesões musculares

  • Avaliação objetiva das lesões dos isquiotibiais e do reto femoral no futebol; 
  • Identificar principais fatores de risco e mecanismos lesionais;
  • Estratégias para a reabilitação funcional das lesões musculares;
  • Critérios de progressão e de retorno à atividade (return to play); 
  • Componente prática: 

   - Terapia manual da fase aguda ao retorno à competição; 

   - Eletroterapia

   - Exercício excêntrico

   - Estratégias preventivas de ativação muscular e taping.

 

2. Lesões Tendinosas:

  • Avaliação postural global para lesões do tendão rotuliano;
  • Terapia manual da fase aguda à crónica;
  • Exercício terapêutico em amplitudes controladas; 
  • Componente prática: 

   - Exercício excêntrico;

   - Alongamento globais para lesões tendinosas;

   - Retorno à pliometria baseada em critério.

 

3. Lesões cartilagíneas:

  • Reabilitação funcional: Lesão patelo-femoral vs. femuro-tibial; 
  • Tratamento cirúrgico vs. Conservador; 
  • Critérios de progressão e de retorno à atividade (return to play)
  • Componente prática: 

   - Terapia manual (crochetagem, técnicas miofasciais, técnicas drenagem linfática, estratégias para ganho de mobilidade); 

   - Exercício terapêutico; 

   - Treino de força e exercícios adequados à modalidade desportiva;

   - Diferenças entre trabalho em cadeia cinética aberta e fechada para lesões cartilagineas.

 

4. Lesões Meniscais:

  • Lesões meniscais internas vs. externas; 
  • Tratamento cirúrgico vs. Conservador;
  • Características da reabilitação de suturas meniscias vs. meniscectomias;
  • Critérios de progressão e de retorno à atividade (return to play)
  • Componente prática: 

   - Terapia manual (crochetagem, técnicas miofasciais, técnicas drenagem linfática, estratégias para ganho de mobilidade); 

   - Exercício terapêutico

   - Treino de força e exercícios adequados à modalidade desportiva;

   - Treino de estabilidade para lesões meniscais.

 

5. Reconstrução do Ligamento Cruzado Anterior:

  • Enxerto de tendão rotuliano vs. isquiotibiais; 
  • Reconstrução do LCA com e sem outras lesões associadas (lesões multiligamentares, meniscais e cartilagíneas); 
  • Importância da estabilização do canto posterolateral do joelho;
  • Critérios de progressão e de retorno à atividade (return to play)
  • Estratégias de prevenção secundária;
  • Componente prática: 

   - Terapia manual (crochetagem, técnicas miofasciais, técnicas drenagem linfática, estratégias para ganho de mobilidade); 

   - Exercício terapêutico

   - Treino de força e exercícios adequados à modalidade desportiva.

Objetivos

Objetivo geral:

  • Tornar mais claro o raciocínio clínico e diagnóstico, potenciando a tomada de decisão terapêutica nas diversas lesões do complexo articular do joelho em tratamento conservador ou pós-cirurgico.



Objetivos específicos:

  • Conhecer a anatomia funcional do joelho;
  • Identificar os mecanismos lesionais mais frequentes; 
  • Aplicar os diversos instrumentos de avaliação para cada uma das lesões, de acordo com a história clinica e/ou mecanismo lesional;
  • Adequar o tratamento às características da lesão;
  • Identificar as diversas opções cirúrgicas do complexo articular do joelho e implicações para a reabilitação
  • Planear as estratégias de tratamento de acordo com critérios objetivos de progressão e retorno à atividade
  • Promover estratégias de prevenção secundária para cada uma das lesões.
O que inclui a inscrição?
  • 16 horas de formação;
  • Material de apoio do curso em formato digital (em Português);
  • Certificado de registo profissional em formato digital (DGERT);
  • Seguro de acidentes pessoais em vigor durante a formação.
Saiba mais sobre este tema

A lesão do complexo articular do joelho é uma das mais frequentes patologias que afeta a população na plenitude dos seus anos de vida. A lesão aparece em população jovem (principalmente desportistas) e em idades mais avançadas, sendo que com características distintas. Em jovens as lesões meniscais, ligamentares e tenoósseas são mais prevalentes enquanto que em idade mais avançada começam a surgir as lesões de desgaste que derivam da carga axial exercida sobre a articulação fémuro-tibial. Só na Alemanha e nos EUA estimam-se que aconteçam cerca de 300 mil lesões de LCA por ano em que a sua maioria necessita de intervenção cirúrgica. Contudo, a lesão mais frequente no futebol é a muscular, sendo que a lesão dos ísquio-tibiais é a mais prevalente.

Ao contrário da tendência da evolução da ciência e da tecnologia ao serviço da saúde, um estudo da UEFA revela que a incidência de lesões musculares tem aumentado nestes últimos anos, o que nos leva a querer que necessitamos de evoluir para acompanhar o progresso técnico-tatica e físico do futebol.

Devido à sua perpendicularidade com a linha da gravidade, a articulação fémuro-tibial sofre um desgaste acentuado devido às cargas axiais a que se submete, tornando-se esse facto muito importante para a gestão das técnicas de reabilitação a utilizar. Os movimentos rotacionais dessa mesma articulação, quando feitos em carga, solicitam no seu stress mecânico máximo as estruturas ligamentares e tendinosas, o que em muitos momentos torna-se motivo para o aparecimento da lesão. No entanto, no desporto de alta competição e nos desportos de contacto, as características dessas modalidades (mudanças de direção em alta velocidade, saltos e traumatismos) aumentam o risco de lesão.

Em termos de reabilitação funcional as estratégias a utilizar são de extrema importância para o sucesso do retorno desportivo em segurança, e para isso é necessário respeitar diversos fatores tais como: a cronobiologia da lesão, a biomecânica da articulação, a localização da lesão, tipo de modalidade desportiva e lesões anteriores.

Neste curso serão abordados todos estes temas acerca dos critérios de progressão das diferentes etapas de tratamento, técnicas manuais e funcionais a utilizar em cada momento da lesão, exemplos de planos de reabilitação funcional, critérios de retorno desportivo e estratégias de prevenção secundária.

A lesão do complexo articular do joelho é uma das mais frequentes patologias no desporto. As lesões muscularesligamentarescartilagíneas ou meniscais desta articulação, são algumas das mais temidas pelos atletas e equipas, uma vez têm um impacto muito negativo no rendimento. Estas podem implicar longos períodos de interrupção da prática desportiva, tornando a prevenção e reabilitação numa prioridade.

No curso Fisioterapia no Joelho: Avaliação e Tratamento serão abordadas estratégias para manter o joelho dos seus atletas saudável e sem complicações, assim como critérios objetivos de retorno à competição (return to play) em segurança e com o menor risco de recidiva. Adicione a crochetagem, técnicas miofasciais e a drenagem linfática ao seu leque de armas terapêuticas, complementadas pelo treino de força e exercício terapêutico.

Quer saber mais sobre disfunções do joelho? Aceda a um algoritmo sobre o seu quadro fisiopatológico.

Ler mais
  • Formação Certificada
    DGERT
Vou ser melhor com este curso porque:
  • Vou saber como e quando fazer os exercícios mais adequados ao momento da reabilitação, otimizando os resultados do plano de tratamento
  • Vou integrar na minha intervenção técnicas como a crochetagem, drenagem linfática, técnicas miofasciais, entre outras
  • Vou conhecer os critérios objetivos para um retorno desportivo em segurança, reduzindo o risco de recidiva
  • Vou diminuir o número de lesões desportivas, através das mais eficazes estratégias de prevenção
Datas
9 e 10 de Março de 2019
Exclusivo a
#Fisioterapeuta, #Estudante Finalista
Nº máximo de vagas
30 Vagas
Investimento
Inscrição antecipada Insc. antecipada (até 22-01-2019) 179,00€
Inscrição normalInsc. normal
(até 19-02-2019)
219,00€
Inscrição tardiaInsc. tardia
(até 09-03-2019)
250,00€
Vagas, horário e local
Nº máximo de vagas
30 Vagas
Horário
Manhã - 9:00 às 13:00
Tarde - 14:00 às 18:00
Carga Horária
16 horas
Concelho
Lisboa
Localização
Idioma
Português
Saber mais

A Bwizer nas redes sociais