O nosso website utiliza cookies por forma a melhorar o desempenho do mesmo e a sua experiência como utilizador. Pode consultar a nossa política de cookies AQUI

Dicas para o Sucesso Profissional

Ebook gratuito
Voltar à listagem

Cuidados de enfermagem à Pessoa Adulta Queimada: definição e conceitos fundamentais

A definição de Pessoa Adulta Grande Queimada não é linear, sendo a assistência à mesma caracterizada por um elevado grau de complexidade, pelo que se constitui como um enorme desafio para a equipa multidisciplinar. Ora, de forma a garantir qualidade e eficiência na prestação de cuidados, desde o pré-hospitalar à Unidade de Queimados (UQ), passando pelo Serviço de Urgência, é necessário que todos os seus intervenientes dominem competências ao nível da abordagem deste tipo de doente e que partilhem a mesma linguagem.

 

Conceitos fundamentais: o doente crítico e a queimadura

O doente crítico é todo aquele em que “por disfunção ou falência profunda de um ou mais órgãos ou sistemas, a sua sobrevivência esteja dependente de meios avançados de monitorização e terapêutica" (Ordem dos Médicos e Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos, 2008).

De acordo com o artigo "Garantindo a Continuidade dos Cuidados de Enfermagem à Pessoa Adulta Grande Queimada" de 2013 de Tiago Amaral, e tendo em conta que a "pele o maior órgão do corpo humano se compreende que, "quando esta sofre dano resultante de uma queimadura poderá levar ao comprometimento da imunidade, hipotermia, aumento da perda de líquidos, infeção, alterações na aparência, função e na imagem corporal (Culleiton & Simko, 2013), isto é, poderá levar à disfunção ou falência profunda de um ou mais órgãos ou sistemas."

O conceito queimadura é complexo e de difícil definição. Na Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE) está enunciado como: “Ferida traumática com as características específicas: rotura e perda da camada exterior do tecido da superfície do corpo ou das camadas mais profundas, devida a lesões pelo calor resultantes da exposição a agentes térmicos, químicos, elétricos ou radioativos; caracterizada por coagulação das proteínas das células, aumento do metabolismo, perda da reserva de nutrientes nos músculos e no tecido adiposo, perda de proteínas e compostos azotados, por grande dor, desconforto e stress, com risco de choque e com risco de vida; necrose dos tecidos, infeção da ferida, contracturas, escara hipotrófica com rigidez por espessamento, em que o doente fica profundamente desfigurado” (CIPE, 2011, p.71). De salientar que é necessário ter em conta algumas particularidades e alguns aspetos específicos das queimaduras químicas (Palao, R.; Monge, I.; Ruiz, M. & Barret, J.P., 2009), por outro lado temos também de considerar as lesões causadas pelo frio (ABA, 2012).

Com feito, há "diferentes agentes, diferentes mecanismos de ação e diferentes consequências que podem atingir principalmente a pele mas não só, como é o caso das queimaduras por inalação."

Também o conceito grande queimado não tem uma definição linear pois são diversos os fatores que concorrem para a sua caracterização; assim, alguns autores definem-no de acordo com a área queimada, enquanto outros o definem em função de critérios como a causa, a idade ou o local atingido.

A razão pela qual o grande queimado é definido como aquele cuja Total Body Surface Area (TBSA) > 20% é porque a partir desse valor dá-se início ao desencadear de um síndrome de resposta inflamatória sistémica que leva a maciços deslocamentos de fluidos para o espaço extra-vascular (Haberal, M.; Abali, A.E.S. & Karakayali, H., 2010).


Definição da Pessoa Adulta Grande Queimada:

  • Queimaduras parciais ou profundas com TBSA > 10% (>50A);
  • Queimaduras parciais ou profundas com TBSA > 20% (15 – 50A);
  • Queimaduras profundas com TBSA > 5%;
  • Queimaduras parciais ou profundas da face, mãos, pés, genitais, períneo ou grandes articulações;
  • Queimaduras elétricas4 incluindo o flash elétrico;
  • Queimaduras com lesões inalatórias;
  • Trauma significativo associado.

A acrescentar que a estas pessoas grandes queimadas juntam-se outras que também têm critério de internamento numa UQ segundo a ABA (2012), entre os quais:

  • Queimaduras químicas (áreas funcionais ou estéticas – mãos, face, olhos, ouvidos, pés e/ou órgãos genitais);
  • Queimaduras em pessoas com traumatismos ou doenças pré-existentes. [...]

 

Para continuar a ler sobre este artigo e ter acesso ao artigo original, escrito pelo Enfermeiro Tiago Amaral, e que deu origem a esta partilha, submeta o formulário abaixo.

Técnica de Jones no Tratamento de um Trigger Point: tutorial com o Ft. Luís Nascimento

Partilhe esta notícia

A Bwizer nas redes sociais