A mobilização neural tem eficácia? Bónus: webinar exclusivo com Michael Shacklock

Como parte fundamental da neurodinâmica, a mobilização neural é realizada em muitas condições clínicas, sendo as mais comuns a síndrome do túnel do carpo, dor lombar (lombalgia) e ciática.

Em termos de eficácia terapêutica, a mobilização neural já foi estudada inúmeras vezes, mesmo em revisões sistemáticas e meta-análises.

A mobilização neural tem eficácia?

A primeira revisão sistemática conhecida sobre a eficácia terapêutica da mobilização neural foi realizada por Ellis e Hing (2008). Desde então, muito tem sido feito e as próximas duas revisões sistemáticas mostraram resultados ainda mais satisfatórios.

No trabalho de Basson et al (2017), houve evidências que:

  • edema neural ficou reduzido (por exemplo, síndrome do túnel do carpo)
  • foram observadas melhorias na dor cervical e lombar crónica, assim como na incapacidade associada à lombalgia.

No entanto, devido à escassez de estudos ou resultados, não foram observados resultados no pós-operatório relacionado com lombalgia prévia (por exemplo, fusão lombar), na síndrome do túnel cubital e na epicondilalgia lateral.

Outros estudos com evidência de nível 1 sugerem também resultados claros na:

  • intensidade da dor cervical crónica
  • intensidade e incapacidade associada a dor lombar crónica
 

 

Para aprender mais sobre este tema, preparamos um webinar exclusivo com Michael Shacklock - deixe-nos os seus dados e comece já a especializar-se nesta área.

 
 

Partilhe esta notícia