Como fazer Suporte Básico de Vida (SBV)? Paragem cardiorrespiratória (PCR) e outros conceitos

Segundo o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e o INEM, a paragem cardiorrespiratória (PCR) é um acontecimento súbito e uma das principais causas de morte em todo o mundo. Com efeito, o Suporte Básico de Vida (SBV) aumenta substancialmente a probabilidade de sobrevivência da vítima quando iniciado nos primeiros minutos após a paragem cardíaca, e consiste essencialmente em duas ações: compressões torácicas e ventilações.

 

Como fazer Suporte Básico de Vida?

Quando nos deparamos com uma potencial vítima devemos, em primeiro lugar, garantir as condições de segurança do local, verificar se está consciente abanando-lhe suavemente os ombros e chamando por ela.

No caso de a vítima não responder, podemos considerar que esta está desmaiada e inconsciente; depois devemos avaliar se respira, recorrendo à técnica VOSVer se o tórax expande, Ouvir a passagem do ar e Sentir a respiração na face.

Note que no caso da vítima não respirar deve ligar de imediato 112 (ou ter a certeza que alguém o faz); posto este importante ponto, deve iniciar as manobras de SBV até a vítima recuperar ou chegar ajuda diferenciada.

Como fazer Suporte Básico de Vida (SBV)? Paragem cardiorrespiratória (PCR) e outros conceitos

Ora, de acordo com o descrito no site do INEM, o procedimento é o seguinte:

  1. “Deite a vítima de costas no chão ou sobre uma superfície rígida.
  2. Coloque as suas mãos sobrepostas com os dedos entrelaçados no meio do peito da vítima.
  3. Com os braços esticados e perpendiculares ao corpo da vítima, pressione o peito, fazendo com que este baixe visivelmente e alivie. Repita 30 vezes este movimento de compressão e descompressão do peito da vítima a um ritmo de 100 a 120 por minuto.
  4. Ao fim das 30 compressões efetue duas ventilações através da boca da vítima. Para isso encha os pulmões de ar e expire para a boca da vítima, tapando-lhe o nariz com os seus dedos e isolando com os seus lábios os da vítima, para que não exista fuga do ar. Embora a ventilação boca-a-boca seja relativamente segura, sem casos de infeção grave descritos, é recomendável a utilização de máscaras de reanimação. Nos casos em que não seja possível fazer ventilações, faça apenas as compressões.
  5. Após ventilar, retome as compressões e siga sempre a sequência de 30 compressões torácicas com 2 ventilações. Mantenha as manobras até à chegada de ajuda ou a vítima recuperar.”

 

Dúvidas e principais conceitos

1.O Suporte Básico de Vida (SBV) em crianças (pediátrico) é igual ao que é feito em adultos?

Não. Em crianças, logo que se verifique que o latente/criança não respira normalmente, deve-se fazer 5 ventilações apenas com a quantidade de ar necessária para expandir eficazmente o tórax. É também vital adaptat as compressões ao tamanho da vítima (se estivermos perante um bebé até um ano podemos usar apenas 2 dedos, mas se for uma criança até 8 anos devemos utilizar apenas uma mão, deprimindo até 1/3 da altura do tórax).

 

2.Consciente vs. Inconsciente

  • Consciente: sempre que o indivíduo se mover, falar ou reagir de alguma forma quando lhe tocamos e/ou perguntamos se está bem.
  • Inconsciente: sempre que o indivíduo não se move, fala ou reage de alguma forma quando lhe tocamos e/ou perguntamos se está bem.

 

3.Gasping

Quando uma pessoa está em PCR não respira normalmente - apresenta apenas gasping (muito comum nos primeiros minutos de PCR. Ora, o gasping refere-se a uma respiração agônica em que o indivíduo parece inspirar o ar com rapidez (é muitas vezes acompanhado por movimentos da mandíbula, cabeça ou pescoço. É por vezes confundido com um suspiro, ronco ou gemido e pode ser vigoroso ou fraco.

 

4.Desfibrilador Automático Externos (DEA/DAE)

Trata-se de um dispositivo portátil, leve, prático e externo que, por um lado pode detetar ritmos cardíacos anormais que requeiram tratamento por choque e, por outro, é capaz de administrar esse choque que que possibilite o retorno do ritmo ao normal.

 

»» Para continuar a receber informação sobre este tema coloque o seu email e profissão abaixo!

 
   

Partilhe esta notícia