O nosso website utiliza cookies por forma a melhorar o desempenho do mesmo e a sua experiência como utilizador. Pode consultar a nossa política de cookies AQUI

Dicas para o Sucesso Profissional

Ebook gratuito
Voltar à listagem

Emergência no desporto: fraturas e métodos de imobilização

Emergência no desporto:

O mais importante no campo de jogo é identificar e intervir rapidamente, excluindo situações graves e decidindo rapidamente se o atleta pode continuar em campo, ou não.

 

Fraturas:

Sempre que um osso é sujeito a uma força que excede a sua capacidade de adaptação, dá-se uma fratura. Dependendo do mecanismo e intensidade da lesão a fratura pode ser completa ou incompleta, orientada em diferentes direções, ou resultar em múltiplos fragmentos.

Na maior parte das vezes a fratura resulta de um traumatismo considerável, mas em caso de osteoporose ou tumores (fratura patológica) podem ocorrer com traumatismos de baixa intensidade; também pequenos traumatismos repetitivos podem levar ao desenvolvimento de um tipo particular de fratura, a fratura de stress.

Podemos classificar as fraturas em 3 tipos: fechada e não complicada, exposta e complicada; os quais estão relacionados com 3 grupos de complicações: baixo risco de complicações, risco (risco de infeção, hemorragia interna/ externa, lesão de órgãos, vasos ou nervos) e maior risco (maior risco de perda do membro, infeção, hemorragia, lesão dos tecidos adjacentes), respetivamente.

Com efeito, as características destes 3 tipos de fraturas são:

  • Fechada e não complicada - a pele está íntegra e a função neurovascular mantida
  • Exposta - existe perda da integridade da pele por fratura ou luxação
  • Complicada - existe envolvimento nervoso, dos vasos e órgãos

Ainda sobre as complicações das fraturas, é importante referir que uma isquemia por compessão arterial por mais de 4 a 12 horas pode causar lesões irreversíveis.

Quanto aos sintomas, pode verificar-se:

  • perda de função
  • dor
  • deformidade
  • crepitação
  • equimose
  • edema

Contudo, o paciente pode não apresentar os sintomas acima referidos e isso não significativa, de forma absoluta, que o paciente não tenha um fratura. No caso de suspeita, deve avaliar a dor que o paciente sente:

  • agrava com compressão (sinal vermelho)
  • agrava com palpação e percussão (sinal amarelo)
  • pode aliviar com tração (sinal verde)

 

Métodos de imobilização em fraturas:

As talas podem ser usadas para imobilização após fraturas. De salientar que a tração promove o alinhamento normal da fratura e o aumento da tensão nos tecidos moles envolventes. Para conhecer os princípios da imobilização com talas após fratura, submeta o formulário abaixo.

Emergência no desporto: fraturas e métodos de imobilização

Partilhe esta notícia

A Bwizer nas redes sociais