Escala Ramsay ou RASS: por qual optar para avaliar a consciência?

A avaliação do nível de consciência é um ponto fundamental na prática clínica de todos os profissionais que lidam com doentes críticos.

Entre os meios mais comuns para avaliar o nível de consciência encontram-se as escalas Ramsay e Richmond Agitation-Sedation Scale (RASS), duas escalas precisas e fáceis de utilizar.

Assim, torna-se importante conhecer o que as distingue para, na hora de escolher entre uma ou outra, a decisão ser a mais acertada.

A escala Ramsay pontua de 1 a 6, sendo que 1 corresponde a "acordado e ansioso ou inqueto ou violento" e 6 correponde "sem resposta". Já a RASS pontua de -5 "sem resposta" a +4 "combativo, violento".

De um ponto de vista prático, uma das limitações da escala de Ramsay reside sobretudo na sua pontuação "1" - pois classifica da mesma forma diferentes condições como "ansiso" e "violento" e lidar com estes pacientes é completamente difrente. Esta dificuldade não se verifica na escala RASS.

De salientar também que quando se utliza a RASS o objetivo é manter o paciente num nível de -2 "Sedação Leve: acorda rápido e mantém contacto" a 0 "Alerta calmo", uma vez que um indivíduo neste condições é muito mais suscetível de colaborar no seu tratamento, bem como existe uma maior facilidade de ser colocado em ventilação espontânea. Importante também referir que a RASS contribui também para o diagnóstico de uma disfunção cerebral aguda com repercussões funcionais e risco de mortalidade, a Dellirum.

 

---
Fonte: Portal Enfermagem

Partilhe esta notícia