O futuro da fisioterapia é ser um Fisioterapeuta bonito

Na Faculdade em 2004, numa das aulas de psicologia, a professora exigiu que cada um de nós fosse ao quadro escrever uma característica que achássemos que devia estar presente no fisioterapeuta. O meu colega João Pacheco, conhecido por "pintas", escreveu: bonito. Será que um bom fisioterapeuta tem de ser bonito? O que é ser bonito? É ter boa aparência? É andar com uma farda bonita? É ter bom ar? Este tema é um tema que me desperta curiosidade. O tema da psicologia/energia no nosso tratamento de fisioterapia.

O futuro da fisioterapia é ser um Fisioterapeuta bonito

Eu sou uma fisioterapeuta empreendedora e claro que as conversas da Bwizer com fisioterapeutas empreendedores me interessaram, mas além do conteúdo lá falado, em todas as conversas estive atenta à personalidade dos fisioterapeutas. Na maioria apontei sorridente, seguro, confiante, convicto, comunicativo, simpático, feliz, realizado. Será que nós fisioterapeutas durante os nossos tratamentos/consultas transmitimos a nossa energia ao nosso paciente?! Será que essa energia vai influenciar realmente o tratamento? E não falo só em o paciente passar um bom bocado durante o tratamento. Durante um tratamento em que o objetivo é a libertação de neurotransmissores, a modificação plástica da fáscia, a produção de substâncias endorfínicas, o estado emocional do paciente vai ajudar ou bloquear o tratamento?! Claro que sim na minha opinião. 

Poderemos ensinar os fisioterapeutas a serem confiantes, felizes e a passar energia positiva durante o tratamento Hugo Belchior? Abordagens como são descritas em livros como "porque adoecemos?" ou "Liberta-te de pensamentos tóxicos" demonstram que o estado de espírito negativo leva à doença. E o contrário? O estado de espírito positivo leva à cura certamente. Ouvi também o Hugo Belchior dizer que a nova fisioterapia consistia em 60% tratamento e 40% empatia pelo fisioterapeuta.

Na conversa do Hugo com a Sofia Milhano, numa parte a Sofia refere que entendeu mal uma técnica e passou meses a exerce-la mal, mas no entanto afirma que teve resultados na mesma. Faz pensar não faz?!

Todos que me estão a ler também pensam nisto?

Já vos aconteceu isso?

Está mais que falado e provado que as pessoas gostam de profissionais simpáticos e faladores. Mas a nível fisiológico o que muda?! O que muda quando amas e confias no teu fisioterapeuta?

O que muda nos nossos tratamentos e nos nossos resultados quando nós fisioterapeutas somos felizes?!

Porque é que somos fisioterapeutas mas um paciente perde a mãe e nós somos os primeiros a saber?! Porque é que às vezes num tratamento sinto que falei mais do executei técnicas?

Eu sei que são mais perguntas que respostas...mas como é um artigo de opinião aqui fica a minha.

Quem feio ama bonito lhe parece, não sei se me fiz entender, e esta é na minha opinião o futuro do fisioterapeuta.

Ser bonito :)

Partilhe esta notícia