O nosso website utiliza cookies por forma a melhorar o desempenho do mesmo e a sua experiência como utilizador. Pode consultar a nossa política de cookies AQUI

Dicas para o Sucesso Profissional

Registo
Voltar à listagem

Entrevista à Equipa Low Pressure Fitness: Camilo Villanueva, Piti Pinsach e Tamara Rial (Bwizer Magazine)

Este artigo fez parte da 5ª edição da Bwizer Magazine – pode vê-la na íntegra aqui.

 

Estivemos à conversa com os três fundadores da Low Pressure Fitness: Tamara Rial, Piti Pinsach e Camilo Villanueva.

Nesta entrevista descobrimos como surgiu a Low Pressure Fitness, qual a sua missão e projetos para o futuro. Acompanhe-nos ao longo das próximas linhas e apaixone-se, como nós, por este sistema de treino postural inovador.

 

Como se apresentariam, de uma forma breve?

Tamara: PhD, co-fundadora e investigadora do Low Pressure Fitness. Atualmente coordeno a Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P + D + I), assim como a formação de profissionais de saúde no LPF e exercício para a saúde da mulher Low Pressure Fitness Institute. Continuo também com o trabalho de ensino com palestras e conferências, assim como com a investigação e publicação de artigos e livros sobre LPF e Exercício para a Saúde. Sou também professora de reabilitação do pavimento pélvico da Fundació Universitaria del Bages e professor da Herman & Wallace, instituto de reabilitação pélvica.

 Piti: DEA em Morfologia Médica e Bacharel em Ciências da Atividade Física, co-fundador, divulgador e professor do Instituto de Fitness de Baixa Pressão. Atualmente dedico-me essencialmente à formação de novos instrutores e promoção da marca através do trabalho científico, presença em congressos e conferências pelo mundo, assim como com a presença em vários meios de comunicação.

Camilo: Sou formado em Publicidade e Relações Públicas, assim como em Atividade Física e Ciências do Desporto, ambos pela Universidade de Vigo. Atualmente sou o gerente do Low Pressure Fitness Institute.

 

Antes de criarem a Low Pressure Fitness (LPF), os hipopressivos já faziam parte das vossas vidas. O que viram de novo e de especial nos “hipopressivos” e como surgiu este método?

Tamara: Eu estudei Atividade Física, Ciências do Desporto com a especialidade em Educação Física, mas a minha paixão pelo exercício físico para mulheres e pelas técnicas de corpo-mente levou-me a prosseguir o estudo até obter o título de Doctora Internacional pela Universidade de Vigo, com a primeira tese de doutoramento conhecida sobre técnica hipopressiva.

Em colaboração com o Piti Pinsach, estudei a aplicação dos hipopressivos no campo da prevenção, desporto e condicionamento físico através do ensino, pesquisa e treino. E, após quase dez anos a desenvolver o conceito dos exercícios hipopressivos, em conjunto com o Camilo Villanueva, criamos a Low Pressure Fitness® (LPF).

O LPF é um programa de treino global que combina a técnica hipopressiva com outras técnicas de reeducação postural, como a mobilização neurodinâmica, miofascial e respiratória. É um programa de “baixa pressão" física e psicológica adequado para todos, através do qual profissionais de saúde e exercício físico podem ser certificados para se tornarem instrutores especializados em LPF.

Piti: O nosso ponto de partida foi verificarmos que não existia nenhum sistema de treino que garantisse, ao mesmo tempo, melhoria dos índices de saúde da população, e redução do perímetro da cintura.
Com efeito, com as nossas pesquisas, verificamos que a prática do sistema de treino LPF permitia alcançar bons resultados em pouco tempo, chegando mesmo a garantir reduções de cintura de 2 a 10 cm com apenas dois dias por semana, 30 minutos em cada sessão, durante dois meses. Concluímos também que estes indivíduos reportavam diminuição da dor nas costas e stress, assim como melhoria da flexibilidade, padrão respiratório e maior relaxamento.

Camilo: Conheci a técnica hipopressiva do Piti Pinsach através da Tamara Rial. Nessa altura consegui resolver um problema nas costas que até à data e com sessões fisioterapia ou osteopatia não tinha conseguido solucionar. Desde esse momento percebi os inúmeros benefícios desta técnica, pelo que, juntamente com a Tamara e o Piti dedicamo-nos a desenvolver esta poderosa técnica e assim nasceu a LPF.

 

Fazendo uma viagem desde o passado até ao dia de hoje:  qual era o vosso objetivo com a criação deste sistema de treino postural? Tinham a ambição de fazer da LPF, uma marca internacional e presente em tantos países?

Tamara: A missão do Instituto é muito clara: "melhorar a qualidade de vida de todas as pessoas do mundo", pelo que o nosso principal objetivo é divulgar e oferecer LPF em todos os cantos do planeta.

No entanto, não esperávamos que a internacionalização acontecesse tão cedo. Em apenas dois anos, já possuíamos profissionais certificados nos cinco continentes. Atualmente, uma das nossas prioridades é dar continuidade à missão de ajudar todas as pessoas no mundo a melhorar sua saúde através destes exercícios.

Piti: As aplicações práticas da LPF são muitos (urogenital, respiratória, músculo esquelética, somática visceral, emocional e muito mais) e hoje já existe a recomendação por parte de outros profissionais de saúde e exercício não certificados em LPF como médicos (uro-ginecologistas, pneumologistas, ortopedistas), PTs, fisioterapeutas, entre outros profissionais.

Camilo: O nosso objetivo no âmbito da formação em LPF é dar continuidade, por um lado à missão do Piti de transferir a técnica de terapia para a prevenção e, por outro, ajudar a Tamara a continuar a desenvolvê-la para uma abordagem mais integrada e global.

Podemos dizer, com absoluta certeza, que o nosso projeto nasceu globalmente, pois em menos de 6 meses criamos o primeiro modelo de expansão internacional com um sistema de licenciamento para uso da marca, e o primeiro curso no Canadá aos 9 meses.

 

Para continuar a ler esta entrevista exclusiva para a Bwizer Magazine, submeta o formulário abaixo:

Entrevista à Equipa Low Pressure Fitness: Camilo Villanueva, Piti Pinsach e Tamara Rial (Bwizer Magazine)

Partilhe esta notícia

A Bwizer nas redes sociais