Fisioterapia Neurológica: Método de Perfetti para Integração Sensorial

reabilitação neurológica é atualmente uma grande área de enfoque da Fisioterapia, estando presente em larga medida, na prática clínica diária da maioria dos profissionais. É uma área que exige um raciocínio clínico avançado e conhecimentos abrangentes da neuroanatomia, neurofisiologia e correlações destas com a integração de padrões de movimento e funcionalidade.

Desta reabilitação fazem parte um grande leque de patologias numa larga faixa etária, fazendo parte desde as crianças e patologias como a Paralisia Cerebral, aos adultos mais velhos e patologias como o Acidente Vascular Encefálico (AVC). Importa salientar que algumas destas patologias, como é o caso do AVC, representam uma das grandes causas de morte em Portugal e uma das maiores causas de incapacidade funcional, com grande limitação na autonomia e desempenho das atividades da vida diária, bem como um enorme impacto social e económico na família, nos cuidadores e na sociedade em geral.

Atualmente, é uma área mais do que conhecida e comprovada pela evidência científica. Assim, a abordagem terapêutica deverá assentar na compreensão das competências motoras necessárias para que as capacidades perdidas sejam readquiridas ou readaptadas, sempre com vista à independência funcional.

Agora, convidamo-lo a ver um vídeo onde a Fisioterapeuta e Especialista na área Marlene Rosa vai apresentar-lhe um Método para Integração Sensorial inovador e ainda pouco explorado em Portugal - o Método de Perfetti!

O que é o Método Perfetti?

É um método de reabilitação que nasceu na Itália no início dos anos 70 como resultado do trabalho do neurologista Carlo Perfetti e seus colaboradores.

Este método tem evoluído paralelamente às neurociências, pelo que ao longo da história vem adquirindo diferentes formas e nomes. Com efeito, este método é baseado na importância da ativação de processos cognitivos no processo de recuperação de movimento.

Por outras palavras, pressupõe que a qualidade da recuperação do movimento depende diretamente do tipo de processos cognitivos ativados (percepção, atenção, memória, linguagem) e do seu modo de ativação, ou seja, o modo como são ativados.

 

  »» Este tema interessa-lhe? Se sim, conheça o programa de formação mais atualizado e completo na área.

Partilhe esta notícia