O nosso website utiliza cookies por forma a melhorar o desempenho do mesmo e a sua experiência como utilizador. Pode consultar a nossa política de cookies AQUI

Dicas para o Sucesso Profissional

Registo
Voltar à listagem

Paragem cardiorrespiratória (PCR), Suporte Avançado de Vida (SAV) precoce e cuidados pós-reanimação

Segundo o manual de Suporte Avançado de Vida (2019 – 1ª edição) do Departamento de Formação em Emergência Médica do INEM, a “paragem cardiorrespiratória (PCR) é um acontecimento súbito, constituindo-se como uma das principais causas de morte na Europa e nos Estados Unidos da América. Atinge entre 55 a 113 pessoas/ 100.000 habitantes, estimando-se entre 350.000- 700.000 indivíduos afetados por ano, só na Europa.

A análise efetuada aos equipamentos de DAE utilizados logo após uma paragem cardíaca, indica uma elevada percentagem (76%) de vítimas com um incidente arrítmico particular: FV. Está demonstrado que a desfibrilhação precoce, realizada entre 3 a 5 minutos após o colapso da vítima, resulta em taxas de sobrevivência de 50 a 70%.

Na análise do ritmo inicial, cerca de 25-50% das vítimas de PCR pré-hospitalar têm FV, percentagem que diminuiu nos últimos 20 anos. A sobrevida à alta hospitalar na Europa é de 9% para as PCR por FV. É provável que o número de vítimas com FV ou TVsp no momento do colapso seja muito maior, mas no momento da realização do primeiro eletrocardiograma (ECG) pelos operacionais, o ritmo tenha evoluído para assistolia. A incidência de PCR intra-hospitalar é mais variável, ocorrendo entre 1 a 5 por 1000 internamentos. […]

Para continuar a ler este artigo sobre PCR e Suporte Avançado de Vida, submeta o formulário abaixo:

Paragem cardiorrespiratória (PCR), Suporte Avançado de Vida (SAV) precoce e cuidados pós-reanimação

Partilhe esta notícia

A Bwizer nas redes sociais