O nosso website utiliza cookies por forma a melhorar o desempenho do mesmo e a sua experiência como utilizador. Pode consultar a nossa política de cookies AQUI

Dicas para o Sucesso Profissional

Ebook gratuito
Voltar à listagem

Técnica de Jones no Tratamento de um Trigger Point: tutorial com o Ft. Luís Nascimento

Síndrome Doloroso Miofascial (SDM) define-se como um conjunto de sinais e sintomas causados pelos Pontos Gatilho Miofascial (PGM) e, de acordo com Shah et al (2005), estas disfunções caraterizam-se por uma excessiva atividade da acetilcolina, que pode dever-se a diferentes problemas ao nível pré-sináptico, sináptico e pós-sináptico. De referir também que hoje, estes pontos gatilho miofasciais, também designados de trigger points miofasciais, são definidos como pontos focais hiperirritáveis, localizados no interior do músculo-esquelético e/ou sua fáscia, desenvolvendo dor pronunciada.

Com efeito, a tensão criada pelas contraturas dos sarcómeros causa hipoxia e sofrimento local dos tecidos, um aumento da acidez, um aumento de libertação e acumulação de múltiplas substâncias sensibilizantes e nociceptivas. Aponta-se  sedentarismo, a má ergonomia no trabalho, o constante stress provocado pelo atual contexto socioeconómico (instabilidade nos emprego, excesso de trabalho, etc.) como os culpados pelo aumento de predisposição para a presença de trigger points, bem como para a elevada incidência e prevelência de dor a nível músculo-esquelético.


Que ferramentas terapêuticas tem o Fisioterapeuta ao seu dispor?

Uma das ferramentas terapêuticas para tratar trigger points é a Técnica de Jones. Para ficar a conhecer esta técnica, nada melhor que a ver na prática! Assim, convidámos o Fisioterapeuta Luís Nascimento a exemplificar a aplicação da técnica de Jones no tratamento de um trigger point no esternocleidomastoideu - para assitir ao vídeo de forma exclusiva e gratuita, submeta o formulário abaixo.


Técnica de Jones no Tratamento de um Trigger Point: tutorial com o Ft. Luís Nascimento

Partilhe esta notícia

A Bwizer nas redes sociais