Treino específico para a Fáscia?

A fáscia é descrita como uma larga rede tensional corporal que cobre e liga todos os músculos e órgãos. Os tecidos conectivos que formam esta rede tensional têm uma arquitetura dominada por linhas de tensão ao invés de compressão e, em locais próximos a grandes articulações, esta rede não é facilmente distinguível dos restantes tecidos, é antes uma transição gradual entre os diferentes tecidos. A somar-se a esta estrutura, devemos ainda ter em atenção que as linhas tensionais se adaptam localmente à demanda de carga tensional.

Na imagem seguinte podemos verificar o nível de densidade e de alinhamento dos diferentes tecidos conectivos.

 

Retirado de: “Training principles for fascial connective tissues: Scientific foundation and suggested practical applications”.

Fascia Research Group, Division of Neurophysiology, Ulm University. Robert Schleip, PhD, MA a,*, Divo Gitta Mu¨ller, HP

Treino específico para a Fáscia?

Ora, perante estes 3 key-points podemos inferir que um treino focado nesta rede fascial poderá ter um impacto positivo em atletas ou outros indivíduos que utilizem o corpo como ferramenta de trabalho. A maioria das lesões por sobrecarga associadas ao desporto ocorre até, na sua larga maioria, em elementos desta rede fascial que são sobre carregados além da capacidade para a qual estão preparados.

Até há alguns anos atrás o treino era focado na tríade força muscular, condicionamento cardiovascular e coordenação neuromuscular, mas muitas são as alternativas de treino que surgiram e que são já tidas como válidas e com resultados e, todas elas, têm em conta o tecido conectivo (Pilates, Yoga, treino funcional, …).

Desta forma, a equipa de investigação da fáscia da universidade de Ulm propõe neste artigo princípios básicos de biomecânica e neurofisiologia para uma abordagem ao treino orientada para fáscia, com exemplos práticos para que facilmente possam ser adaptados ao contexto específico de treino.

Cada um dos tópicos apresentados de seguida é abordado em maior detalhe no artigo.


Fundamentos básicos

  • Remodelação fascial
  • O mecanismo de catapulta: recoil elástico dos tecidos fasciais
  • Variações de alongamento para a saúde miofascial
  • Hidratação e Renovação

Princípios de treino

  • Counter movement preparatório
  • Princípio Ninja
  • Alongamento lento e dinâmico
  • Refinamento proprioceptivo
  • Espremer e reidratar a esponja
  • Sustentabilidade: o poder de mil passos minúsculos

 

Artigo baseado no artigo científico “Training principles for fascial connective tissues: Scientific foundation and suggested practical applications”. Fascia Research Group, Division of Neurophysiology, Ulm University. Robert Schleip, PhD, MA a,*, Divo Gitta Mu¨ller, HP

Partilhe esta notícia