Eu assumi que era rico | Como ser um Fisioterapeuta Empreendedor por Hugo Belchior

Olá,

Há algumas semanas dei uma palestra no Brasil (um dia destes partilho consigo o link para a ver) e, a certa altura, disse que o meu trabalho na Bwizer já me tinha posto rico… só não em euros!

Assumi que me sentia rico em experiências e em pessoas que tinha conhecido ao longo dos anos.

Vi alguns sorrisos na audiência, aquele sorriso de quem se sente ligeiramente enganado mas que percebe o intuito da expressão de cariz dúbio.

A questão é que é a pura verdade; o meu trabalho como empresário permitiu-me já viver experiências que, de outra forma, dificilmente viveria, desde experiências de viagens internacionais a experiências de gestão, a circunstâncias super divertidas e inesperadas e, outras, duras e muito difíceis.

Para além das experiências, o outro aspeto em que me sinto rico é em networking, é em contactos, é em pessoas. Tenho tido o privilégio de conhecer gente incrível, de diferentes sítios do mundo, com culturas e vivências diferentes e que me têm ajudado a crescer e a aprender, abrindo-me perspetivas e alargando os meus horizontes.

Mesmo que às vezes o meu contacto com algumas dessas pessoas não seja mais longo do que um jantar, não é incomum serem momentos tão ricos que ficam comigo para sempre.

Aliás, um jantar é um excelente momento para estabelecer e aprofundar uma relação com alguém. É um ambiente mais descontraído, tipicamente com uma boa refeição e um belo vinho, com menos pressão de tempo.

Já tive a oportunidade de ter jantares fantásticos, jantares onde, mais do que se tratarem de negócios – que também se tratam quando é necessário – são momentos para conhecer a pessoa por trás do profissional.

Já fui várias vezes de propósito do Porto a Lisboa para jantar com um formador, por exemplo. Dei sempre o meu tempo por bem empregue.

Uma dessas vezes foi com alguém que é uma grande referência internacional, com uma incrível história de vida, alguém com uma paixão pelo seu trabalho verdadeiramente inspiradora, alguém bem simpático, brutalmente trabalhador e… um bom garfo.

Depois daquele nosso contacto estreitámos a nossa relação e foi por isso que, quando nos cruzámos inusitadamente em Barcelona em maio de 2018, foi especialmente marcante. Ainda por cima, vinha acompanhado do seu filho, também ele nosso formador e mais alguém super simpático e boa onda, que partilha a mesma paixão pela fisioterapia do seu pai.

Já sabe de quem falo?

Se clicar aqui, vai saber de quem falo. Vai estar novamente em Portugal, em dezembro deste ano, e já tenho um jantar reservado…

Se quiser ver a nossa foto em Barcelona, clique aqui.

 

Para este fim de semana, faço votos que possa estreitar a sua relação com alguém que valha realmente a pena.


 

 

🔴 Este texto é uma das partilhas de Hugo Belchior - mais info em fisioterapeutaempreendedor.pt

Partilhe esta notícia